Indicadores de Juruti - Segunda Fase: Monitoramento 2011

Segunda Fase: Monitoramento 2011

Revisão da Matriz de Indicadores e Coleta de Dados

O primeiro monitoramento serviu para apontar algumas dificuldades de trabalho, tanto na coleta de dados quanto na sua sistematização através da ferramenta. No segundo semestre de 2010, a equipe da FGV organizou encontros com instituições e atores sociais locais com o intuito de ajustar a matriz de indicadores e de retomar o Grupo de Acompanhamento que auxiliou os trabalhos da equipe na primeira fase. Com base nestas reuniões, foram feitos ajustes de 62 métricas e incluídas 30 novas informações, já visando o segundo monitoramento do desenvolvimento local de Juruti e região.

A partir de janeiro de 2011, iniciou-se a coleta de dados junto a 55 instituições locais e nacionais. Junto com esta pesquisa, a FGV também conduziu novas reuniões e oficinas de capacitação das instituições coletoras de dados, além de revisar as Fichas de Métricas.

Práticas de Leitura e Uso

Os resultados do primeiro monitoramento também serviram para que a própria população de Juruti e região compreendesse a dimensão e o impacto das mudanças geradas pelo empreendimento da Alcoa na cidade. Neste sentido, é importante que estes atores absorvam as informações dos indicadores e compreendam como eles funcionam e como eles podem auxiliar na busca por um desenvolvimento ambiental e socialmente sustentável. Ou seja, os cidadãos jurutienses devem incorporar os indicadores enquanto ferramenta de governança democrática e de gestão pública.

Para tanto, a FGV procurou incentivar a leitura e o uso dos indicadores pelos próprios atores locais: entre julho e setembro de 2011, diversas oficinas foram realizadas em comunidades rurais, setores sociais e instituições locais de Juruti, reunido quase 400 pessoas. Este esforço de “empoderar” os jurutienses com os indicadores servia como uma preparação para a condução do controle da ferramenta para as mãos da comunidade local. O debate sobre a governança futura dos Indicadores envolveu a Prefeitura Municipal, a Alcoa, instituições locais e atores relevantes da região.

Sistematização dos resultados

Em dezembro de 2011 foram apresentados os resultados do segundo monitoramento dos Indicadores de Juruti. A nova publicação reuniu 166 informações, organizadas em 10 temas – uma estrutura diferente da anterior, que refletiu os ajustes realizados e as melhorias obtidas nesta segunda fase. Além da publicação, a FGV também produziu um manual de coleta de dados e cartões sobre os indicadores para as escolas de Juruti, para facilitar a sua utilização em sala de aula.