Indicadores de Juruti - Agenda de Desenvolvimento

Agenda de Desenvolvimento

Com base nas discussões realizadas em Juruti e região,  a FGV e o Funbio desenvolveram uma proposta de agenda de desenvolvimento local sustentável e de longo prazo. O contexto dessa agenda é a inserção do projeto de mineração da Alcoa em uma região de alta biodiversidade, com poder público frágil e uma organização social pouco articulada e despreparada para lidar com as mudanças decorrentes de um empreendimento de grande porte. A proposta também considera que estas mudanças repercutem de forma expressiva e contínua sobre uma ampla gama de atores, com enormes diferenças sociais, econômicas, políticas e históricas.

 

A proposta se baseia em quatro premissas, e prevê três tipos de atuação no contexto local. Para saber mais, clique em cada item. 

 Premissas

1) Participação ampla e efetiva dos atores na construção do desenvolvimento local sustentável;

2) Abordagem territorial que considera os efeitos do empreendimento também no entorno de Juruti;

3) Diálogo com o contexto global, regional e local;

4) Internalização dos princípios do processo na empresa.

Tripé de atuação

I) Construção coletiva de um espaço público, amplo e democrático (criação de um fórum ou conselho local, com efetiva participação dos atores envolvidos);

II) Formulação de indicadores para monitorar o desenvolvimento local;

III) Financiamento do desenvolvimento sustentável a partir de um fundo que capte recursos e investimentos para a agenda de desenvolvimento definida coletivamente.

Saiba mais na publicação "Juruti Sustentável: uma proposta de modelo para o desenvolvimento local", que sistematiza e explica o modelo proposto pela FGV e pelo Funbio para Juruti.