Indicadores de Juruti - A Proposta

A Proposta

Os indicadores de desenvolvimento são uma importante ferramenta do modelo de desenvolvimento local “Juruti Sustentável” (2007), proposto pela FGV e pelo Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (Funbio). A FGV começou a trabalhar na construção de indicadores de desenvolvimento a partir das premissas do “Juruti Sustentável”.

A FGV tinha dois importantes desafios: 

- Construir os indicadores por meio de um processo que garantisse a participação ampla e efetiva da sociedade local, e

- Desenvolver uma metodologia para a definição de um território de monitoramento.

A participação dos jurutienses foi marcante e essencial durante todo o processo de construção da ferramenta, trazendo contribuições de diferentes atores que viviam o contexto da inserção de um grande empreendimento de mineração em Juruti, na época. O foco dessas contribuições era compreender as mudanças que estavam acontecendo, perceber as expectativas (positivas e/ou negativas) que surgiam deste cenário e construir caminhos para garantir que toda a cidade e seu entorno fossem beneficiados. Desse modo, a participação da população foi essencial para legitimar o resultado final da construção dos indicadores de desenvolvimento local. 

 

Os indicadores são uma ferramenta importante para conhecer e compreender como as mudanças geradas pela presença de um grande empreendimento se refletem em diversas áreas da cidade, nos serviços públicos oferecidos para a população, na economia local e na distribuição de renda, na preservação dos recursos naturais e do meio ambiente, entre outros temas importantes para a sociedade jurutiense.

No entanto, é importante destacar que, sozinhos, os indicadores não consegue trazer soluções para os problemas que apontam. Por isso é essencial que os indicadores sejam acompanhados por um debate amplo e participativo, envolvendo todos os segmentos sociais de Juruti. Ou seja, esta ferramenta deve ser apropriada pela população de Juruti, e deve ajudar os jurutienses a conhecerem as transformações que ocorrem no município, a avaliarem os caminhos percorridos e a definirem coletivamente os rumos desejados.