Indicadores de Juruti - Entorno

Entorno

Um dos objetivos deste trabalho foi identificar quais municípios vizinhos poderiam sofrer influências a partir da instalação da Alcoa em Juruti, e sugerir indicadores para acompanhar o desenvolvimento da região. Para isso, fizemos uma ampla pesquisa bibliográfica e de campo.

A análise dos resultados identificou dois grupos de municípios cujas relações com Juruti se intensificaram – ou surgiram - a partir da chegada do empreendimento na região. O primeiro é formado por Óbidos, Oriximiná e Santarém e compreende os municípios cuja intensidade das relações com Juruti aumentou com alguma significância, batizado de “Território de Monitoramento”. Nesses municípios, identificamos um fluxo grande de pessoas, serviços e mercadorias.

O segundo grupo é composto de Alenquer, Faro, Itaituba, Parintins e Terra Santa e reúne municípios cujas relações com Juruti tiveram alterações menos significativas, mas merecem acompanhamento. Chamamos este segundo grupo de “Território de Observação”. Nesses municípios, as alterações nas relações são menores e mais difusas, em geral ligadas à exploração mineral existente ou potencial, a cursos profissionalizantes para atender a demanda, e ao fluxo de pessoas e mercadorias.

Pensando na viabilidade de acompanhar o desenvolvimento desses municípios ao longo do tempo, decidimos usar somente informações coletadas periodicamente por instituições de pesquisa nacionais. Assim, foram escolhidos onze indicadores para o Território de Monitoramento. Em Meio Ambiente, monitoramos o uso e cobertura do solo, as ocorrências e a produção e comercialização de recursos minerais. Em Ser Humano e Sociedade, os indicadores de expectativa de vida e mortalidade, qualidade do ensino, trabalho, emprego e renda, demografia e IDH. Na parte de Economia e Infraestrutura cobrimos a evolução do produto interno e fontes e usos dos recursos públicos. Para o Território de Observação, foram selecionados nove desses onze indicadores.

Os desafios para a definição de um território de monitoramento para além de Juruti trouxeram luz a algumas questões. A primeira delas é o fato de que as transformações que chegam aos municípios do entorno são difusas e resultam também de interferências de outras dinâmicas em curso na região. A segunda é que algumas transformações são intangíveis, ou seja, de difícil medição, como, por exemplo, o impacto na estrutura familiar que pode acontecer quando os chefes de família deixam suas casas para buscar trabalho em outro lugar. Por último, os indicadores propostos não esgotam os temas identificados na pesquisa de campo, mas entre as informações disponíveis são os que mais se aproximam dos temas a serem monitorados.

Vale ressaltar que o avanço promovido pela incorporação do monitoramento e observação do desenvolvimento dos municípios do entorno de Juruti, neste trabalho, expressa o desejo de contribuir para uma discussão mais ampla sobre a importância de um olhar regional em face da instalação de grandes empreendimentos, em especial na Amazônia.