Indicadores de Juruti - Internalização na empresa

Internalização na empresa

Para que a sustentabilidade de um empreendimento seja efetiva, é preciso que a empresa responsável assimile os pactos e compromissos da agenda de desenvolvimento de longo prazo nas suas estratégias, processos e práticas de gestão. 

Ainda que haja uma abertura das empresas para o conceito de sustentabilidade, prevalecem ainda relacionamentos de natureza defensiva, sem enfrentar desafios que exigem colaboração e aprendizado. Isso dificulta a inserção de empresas em comunidades locais, pois não se constrói uma relação de confiança entre os cidadãos e a empresa. Algumas experiências recentes têm mostrado que, quanto mais indivíduos, setores e instituições comprometem-se com a sustentabilidade, mais se acumulam práticas e conhecimentos para levar avanços no negócio e para que a operação da empresa gere benefícios para a população em geral. 

Neste contexto, é premissa do modelo de desenvolvimento proposto para Juruti que a empresa procure alinhamento interno para absorver os princípios e valores da sustentabilidade em seus processos, estratégias e práticas de gestão. A agenda de desenvolvimento de longo prazo para Juruti deve ser amplamente divulgada e compreendida na empresa e seus princípios continuamente incorporados. Nesse caminho, destacam-se iniciativas interdependentes para consolidar o comprometimento dos quadros da empresa – incluindo fornecedores críticos – e construir unidade de ação segundo princípios da sustentabilidade. Para integrar eficiência econômica a um processo de legitimação transparente, a empresa deve se enxergar como parte de uma multiplicidade de protagonistas no município, iguais no valor e no peso de suas visões e demandas. Este processo deve caminhar junto às decisões econômicas e de produção da empresa, de forma a não criar cenários de ambiguidade entre discurso e prática.