Indicadores de Juruti - A Construção dos Indicadores

A Construção dos Indicadores

A construção dos indicadores foi feita com base em oficinas de trabalho em Juruti, Santarém e Belém, em uma ampla consulta pública e, finalmente, por uma reunião pública. Saiba mais como foi cada uma dessas etapas:

Oficinas de trabalho

Consulta pública

Reunião pública

Após a validação pública da matriz de indicadores, a equipe da FGV iniciou a aplicação prática da ferramenta em Juruti e arredores, em meados de outubro de 2008. Desde então, a FGV conduziu dois monitoramentos (2009 e 2011), que serviram para identificar temas prioritários, o território de monitoramento, definir a métrica (como medir) e protocolos (onde e como encontrar os dados), além da coleta de dados para alimentar os indicadores. 

Oficinas de trabalho

Nas oficinas, os participantes foram convidados a refletir sobre “o que é desenvolvimento”, “o que monitorar” neste desenvolvimento, e “onde monitorar”. 

Para a construção dos Indicadores de Juruti, foram realizadas três oficinas de trabalho – em Juruti, em Santarém e em Belém – com a participação de lideranças e atores locais e regionais, além de representantes do poder público municipal e estadual, de instituições acadêmicas, de parceiros da Alcoa e da própria empresa. 

Para colaborar com os esforços da FGV neste processo de construção coletiva, foi criado um Grupo de Acompanhamento, com representantes da prefeitura, de sindicatos, entre outros atores, com o propósito de fortalecer a governança e a transparência do trabalho desenvolvido pela FGV.

Consulta  pública

Durante dois meses, os resultados das oficinas foram submetidos a uma ampla consulta pública – ou seja, neste período os indicadores ficaram à disposição para avaliação e coleta de sugestões, críticas e comentários. 

Para estimular o envolvimento e a participação, foi produzida uma cartilha de apoio, em linguagem simples que facilitou a compreensão do trabalho. 

Foram realizadas minioficinas nas comunidades rurais e reuniões setoriais em Juruti e em Santarém, com o propósito de apresentar os indicadores propostos. Nesta fase, um site foi elaborado pela equipe da FGV, com informações sobre os indicadores e coletando contribuições de todo o país. 

Reunião pública

Em agosto de 2008, a FGV realizou uma reunião pública, que fechou o processo de definição dos indicadores de Juruti, acolhendo contribuições, ajustes e complementações propostos pelos participantes.